Medicamentos para o alcoolismo

Medicamentos para o alcoolismo

Mais do que o uso de medicamentos, o principal factor que impulsiona a reabilitação da dependência do alcoolismo é a força de vontade de cada um. Os medicamentos para o alcoolismo são apenas um complemento que ajudam a libertar-se dessa dependência. Se o doente estiver a ser tratado contra a vontade, sem apoio familiar ou sem o apoio das pessoas com que costuma lidar diariamente  de nada vai servir pois voltará de novo a cair na dependência do álcool, entrando numa espiral de recaídas no alcoolismo e por vezes até em outro tipo de dependências como as drogas.

Existem no mercado alguns tipos de medicamentos para o alcoolismo que funcionam como um complemento à desintoxicação alcoólica, entre eles destacam-se:

Dissulfiram

Um medicamento que vai prevenir a eliminação de acetaldeído, um composto químico produzido pelo corpo quando há falta de etanol. O acetaldeído é o composto que leva à sensação de ressaca de álcool, quando este não é ingerido. Este medicamento causa desconforto quando é ingerido álcool, e faz criar uma ressaca longa. O objectivo é que o doente não beba grandes quantidades de álcool, para evitar este efeito. O  medicamento, se ingerido com álcool, pode levar até à morte.

Naltrexona

Este medicamento é usado para tratamentos de dependência de drogas e álcool. O seu uso pode ser feito de duas formas: uma para reduzir o desejo de ingerir álcool e a outra que consiste na combinação entre naltrexona e o hábito de ingerir álcool. Pode tomar através de comprimidos ou através de uma injecção mensal.

Acomprosato

Este medicamento actua em prol da abstinência, faz reduzir o reforço negativo deixado pelo álcool no organismo e impulsiona a vontade pessoal para que não se deixe levar na tentação do álcool e interromper o tratamento. A sua acção faz revelar alguns efeitos secundários, tais como confusão mental, dificuldade em concentrar-se, falta de sensação dos membros inferiores, vertigens e dores musculares.

Oxibato

Trata-se de sal de sódio do ácido gama-hidroxibutírico. Ajuda na abstinência do álcool e na desintoxicação. Melhora a neuro-transmissãoe diminui os níveis de glutamato.

Baclofeno

Apesar de ainda se encontrar em estudo, já foi receitado para tratar alguns pacientes em que outros tipos de tratamento não tiveram os resultados desejados ou em que este era considerado o medicamento para o alcoolismo com melhores resultados para o caso em questão. É usado principalmente da desintoxicação do álcool.

O acompanhamento de um psicólogo ou psiquiatra, dependendo do caso, é fundamental para ao bom desempenho do doente durante o tratamento. O apoio por parte dos familiares, amigos ou grupos de apoio por vezes é ainda mais importante do que o acompanhamento de um especialista. O uso destes medicamentos para o alcoolismo não funcionam sem a total consciência do doente em que a cura é a única solução para levar uma vida plena e livre. O passo mais importante, que deve ser dado por ele, é a procura de ajuda. A partir do momento em que é o doente que procura ajuda, já é um passo para a cura, pois este tomou consciência do problema que atravessa e, mais do que isso, quer tratar dele.

Veja também:

Drogas e álcool, a realidade da dependência
Tratamento do alcoolismo, curar a dependência
As recaídas no alcoolismo
Problemas psiquiátricos provocados pelo alcoolismo

15 respostas para “Medicamentos para o alcoolismo”

  1. Afonso diz:

    Preciso de dicas para tratamento de alcool

  2. gilmar nunes de sousa diz:

    eu gostaria de saber como posso da inicio ao tratamento de alcoolismo e quanto custa.

  3. maria gorethe silva dantas diz:

    tenho um filho alcoolatra ele nao admite que e!

    mais ele bebe todos os dias nao liga mais pra nada
    nem para a filha que tem ja nao seio mais oque fazer.por favor algem min ajuda!

  4. Gilberto diz:

    Cara Senhora.
    Inicialmente procure ajuda nos grupos de apoio, principalmente os Alcóolicos Anônimos.
    Eles vão lhe orientar e lhe ajudar.
    Suscesso.

  5. fatima diz:

    Amiga procura uma consulta com psiquiatra,e um cappes na tua cidade para receber apoio,psicologico,só eles podem te orientar,existe tratamento de graça na rede publica.

  6. antonia lucia cardoso araujo diz:

    Meu irmão é alcolotra e está tentando se ver livre, se treme muito quando não bebe, já não come bem, qual um remedio que faz a desintoxicação?
    Precisamos de ajuda urgente
    alguma remedio caseiro q possa ajudar?

  7. Maria diz:

    Tenho um familiar alcoólico queria saber que tipo de medicamentos ele pode tomar para combater a necessidade pelo vício

  8. SIMONE diz:

    Gilmar, procure o CAPS Centro de apoio psico social,o tratamento é excelente, eles dao toda assistencia e medicamentos.
    Sorte

  9. carmen diz:

    queria saber se uma Pessoa que teve um ataque de coracao á dois anos nao prejudica tomar os medicamentos para o tratamento do alcool obrigada

  10. Elenilma Nunes Elenilma diz:

    Tenho tido muitos problemas com meu marido. Ele é alcolatra mas não aceita. Já não sei mais o que fazer. Preciso de ajuda para lidar com este problema.

  11. Lilian diz:

    Meu pai é alcoólatra más não admite, diz que só é alcoólatra quem bebe pinga mas ele fica quase inconsciente apenas com cerveja, e quando não bebe fica tremendo e dizendo que é fraqueza porque não come direito. gostaria de um conselho pra tratamento em casa pois não quero interna-lo contra a vontade dele.

  12. CarlaSousa diz:

    O tratamento é a auto consciencialização do vicio. O alcoólatra passa por diversas fases, a primeira é a mais longa, está relacionada com hábitos sociais e familiares e também com falsos mitos do álcool, como por exemplo que é um desinibidor; depois na fase dois, começam os problemas sociais e familiares, porque esse excesso de desinibição, leva aos excessos de perda de controle de emoções, perda de noção da realidade, na fase três há paranoias e principalmente desleixo geral, astenia, falta de motivação, baixa autoestima; na fase quatro, normalmente o alcoólico começa a sentir-se perseguido e mal amado, acha que ninguém gosta dele e que ninguém percebe os seus problemas; é a fase terminal, a pior; onde já perdeu quase tudo e aqui, ou aceita a mudança e a recuperação voluntariamente ou será como conduzir um carro sem travões, ele pode parar, mas o mais certo é o embate fatal.
    O alcoolismo desperta no portador dois opostos, uma dualidade, a pessoa que é realmente e a outra que se «transforma»; o melhor será num destes momentos em que a pessoa está em si, procurar ajuda.O melhor são pessoas que já passaram pelo mesmo e sabem fazer a abordagem mais assertiva, que é através do exemplo. No drama do álcool, um vicio social consentido, as famílias, os colegas, os amigos, o cônjuge e os filhos; sofrem muito. Ou há uma comunhão de esforços e uma luta diária e permanente ou não há sucesso. Ninguém fica livre de vicio nenhum. Isso é um erro. Quem tem um vicio tem de assumir que o tem, como quem tem uma doença crónica. E da mesma forma que um doente coronário, asmático, hipertenso, ou outro doente crónico toma a sua medicação e sabe que tem de o fazer senão a sua saúde está em perigo, também o portador da dependência do álcool tem de saber que para a sua saúde física, psíquica, social e familiar tem de estar em permanente Auto consciencialização do seu vício controlo total. Muitos casos de «comas» sucedem depois de longos períodos de abstinência precisamente porque o individuo passa muito tempo a pensar, hoje não, hoje não e no dia que não resiste toma por todos os «hoje não» da sua vida. A frase tem de ser hoje não vou matar, o álcool mata-me e faz-me matar a minha família, os meus amigos e a vida social no geral, porque dou esse mau exemplo como me deram. Hoje eu não quero morrer, não vou dar mau exemplo e não vou matar. Simples. Aceitar as consequências é aceitar o que não queremos e lutar para não ser essa pessoa. Como no tratamento da fúria e da raiva, tem muito trabalho antes de um agressor mudar de habito. No funco é mesmo isso, nós somos hábitos e temos de reciclar um habito nocivo por um positivo.

  13. Andreia diz:

    olá, como faço para estar adquirindo o tratamento com essas medicações.Seria pára o meu esposo. Infelizmente a bebida está acabando com o nosso casamento.

  14. eeleno diz:

    sou cervejeiro que precisa para de beber,estou disposto a toma qualquer medicamento,me endiquem.

  15. Tenho um filho que é dependente de alcool e não quer se tratar.
    Preciso de ajuda.
    Saber qual remédio pode ser indicado
    Quais as contra indicações? entre outros
    O custo?
    Aguardo resposta
    Eni

Deixe uma resposta