As recaídas no alcoolismo

As recaídas no alcoolismo

Considerado um dos vícios mais difíceis de largar, o alcoolismo tornou-se uma das novas doenças do século XXI. O livre acesso a bebidas alcoólicas, principalmente pelos jovens, proporciona um aumento substancial na média de alcoólicos internados por ano. O vício, muitas vezes instalado desde a adolescência, é fatal quando o doente não quer ou não consegue tratar-se. Quando se toma a decisão de internamento de livre vontade, as possibilidades de recuperação sem recaídas no alcoolismo pelo meio são mais elevadas. O problema é que parte dos internamento são feitos contra a vontade do doente, que é levado pela família para as clínicas de reabilitação ou clínicas psiquiátricas.

As recaídas no alcoolismo devido a choques emocionais

Por mais meses que passem sem beber, por vezes, basta um choque emocional para o doente ter uma recaída e refugiar-se imediatamente no consumo de álcool. Nestes casos, o consumo é tão excessivo, que é frequente os casos de comas alcoólicos. Para além deste tipo de choques emocionais, o regresso a casa após a conclusão do tratamento do alcoolismo também é um risco, principalmente quando se aproximas épocas festivas como o Natal, onde há álcool em abundância pela casa. O risco da tentação de beber torna-se mais forte e se cair na tentação, o tratamento não valeu de nada.

Beber para esquecer os problemas

Apesar de um dos principais factores pelos quais os doentes alcoólicos se refugiam no álcool sejam os distúrbios emocionais, há uma série de factores a que levam uma pessoa a beber e a tornar-se alcoólica, motivos esses que também são apontados como causas de recaídas. Sentir-se bem bebendo álcool é o mais clássico dos motivos para o fazer. Quando algo de mau acontece na vida, é natural que a pessoa se torne mais pessimista  Dependendo da maneira de lidar com problemas que cada uma tem, há quem veja na bebida a única solução para esquecer os problemas durante umas horas.

As recaídas no alcoolismo motivadas pelo stress e ansiedade

O stress e a ansiedade dos nossos dias. Quando um alcoólico se sente nervoso, ansioso ou com uma carga de stress muito elevada, procura pelo único estimulante que o fará acalmar-se: o álcool  Daí ser importante que nos primeiros meses após a reabilitação não haja muita agitação na vida do doente, para que este não sinta a necessidade de se acalmar. Depressão, a doença do século. A depressão é por si só classificada como uma doença do foro psicológico. Mais mais do que isto, esta doença faz com que se desenvolvam outro tipo de doenças. O alcoolismo vem como salvador da depressão, na cabeça do doente. Começar a beber para esquecer a realidade e fugir da depressão que está a viver é das causas mais comuns para começar a beber e das causas que levam a ter várias recaídas quando está a tentar recuperar.

A vida profissional como motivo de recaída no alcoolismo

Vida profissional. A vida profissional é cada vez mais importante, por vezes, muito mais que a vida pessoal. Mas quando as coisas no trabalho não correm bem, o álcool torna-se o melhor amigo. Quando, depois do tratamento, se quer começar uma nova vida, o doente deve ser acompanhado em todos os passos que dá, pois qualquer resposta negativa pode ser um motivo para ter uma recaída no alcoolismo.

As pressões sociais para as recaídas no alcoolismo

Beber socialmente. Depois de uma longa recuperação longe da família e dos amigos, o regresso é entusiasmante e as probabilidades de cruzamento com garrafas de álcool são elevadas. Beber socialmente quando sair à noite com os amigos será um desejo negado pela vontade de recuperar mas a tentação pode vir a ser mais forte que essa vontade. As ofertas de álcool são constantes para quem tem uma vida social ativa o que torna a tarefa de quem se encontra em recuperação uma verdadeira luta diária. Em todos os lados, os doentes estão tentados a beber. Nem é preciso sair de casa, as constantes publicidades que passam na televisão a apelar ao consumo de determinada bebida e os seus truques publicitários por vezes são a perdição dos doentes provocando algumas recaídas.

Veja também:

Tratamento do alcoolismo, curar a dependência
Comunidade terapêutica, uma solução para a recuperação
Tratamento do alcoolismo, terapias complementares
O stress e o alcoolismo

5 respostas para “As recaídas no alcoolismo”

  1. warner camargo diz:

    sempre tento largar o alcool mas ele e um mal que me persegue resentimente passe 10 meses sem beber e de repente me vi debendo estou desolada vou começar tudo de novo.

  2. Tânia diz:

    Meu marido já não trabalha a uns três anos, já passou por 7 internações e continua bebendo, já usou todos os remédios conhecidos, o problema é que ele sempre desiste do tratamento na metade do caminho.

  3. isabella diz:

    não beba porque a bebida destrói as familias é muito doloroso,na jornada da vida ,cada trecho vencido com a graça de deus já é u uma vitória=]

  4. jr diz:

    Preciso de ajuda. Mas so eu mesmo posso me ajudar

  5. Renan diz:

    Nossa estava tao feliz sem bebe mas tive uma recaída agora nesse final de ano depois de 10 meses joguei tudo pro auto qui arrependimento muitos prejuizo ja mi causo bati u carro gastei muito dinheiro atoa agr eu tem certeza qui u alcool so destroi a vida da gente vo começa a luta tudo denovo estava muito feliz sem bebe (pior droga )

Deixe uma resposta